História - Pat Rudford


Até a sua adolescência o filho de diplomatas nigerianos residentes em Welwyn Garden City, Pat Rudford (b. Patrick Rudford, 22 May 1978, Nottingham, UK), não tinha muita certeza do que iria fazer na vida. Apesar de prosseguir com os estudos de forma burocrática, o convite feito por seus vizinhos para ingressar numa banda de rock não o animara muito. Chamado por Gregor Stevens e Cliff Morgan, dos quais tornara-se amigo meses antes, para compor uma banda recém-fundada o baterista Pat Rudford foi o último integrante a entrar para os The Gardeners.

Bateria da lata

Pat entrou nos The Gardeners ocupando o lugar que a princípio pertenceria a Kevin Marlon, outro amigo dos demais gardeners. O teste que determinou a entrada de Pat na banda até hoje faz parte do folclore do rock n'roll mundial. Como o grupo não dispunha de uma bateria profissional, Gregor e Cliff montaram um esboço do instrumento composto de grades de grelhar carne, pneus velhos e sacos plásticos entre outras coisas que normalmente estariam na lata de lixo. Tanto a "bateria" quanto Pat surpreenderam positivamente a todos inclusive ao vizinho e também membro Mike Gradas que chegara no meio do teste vindo de uma viagem e desde então ele se firmou no posto.

De gambiarra em gambiarra

Os primeiros tempos de Pat ao lado de seus novos companheiros foram difíceis. Como a maioria dos primeiros shows da banda não eram pagos ou tinham uma remuneração muito reduzida, Pat teve que se acostumar com o tal "instrumento improvisado". Embora demonstrasse alguma habilidade, Pat ainda estava longe de atingir um padrão de qualidade. Somente com a compra de uma bateria profissional, Pat pode evoluir e fazer o que se espera de um baterista quando os Gardeners foram gravar os primeiros singles e o disco de estréia The Gardeners Grow Up.

No pau

Mas foi com o álbum seguinte Migraine Boy que Pat poderia demonstrar realmente que havia atingido nível profissional. Com a opção por músicas mais rápidas calcadas na base hard-rock, Rudford deu o sustento necessário para a dupla Morgan/Stevens além de fazer a percussão em algumas faixas. O álbum posterior The Human Obiciclity is same to Transciding of the Nestery não lhe proporcionou as mesmas chances mas em compensação fez com que ele apresentasse todo o seu vigor pelos palcos durante a excursão que durou um ano.

Bolas e boladas

A mudança para os Estados Unidos em seguida como parte da estratégia de conquista do mercado americano deu a Rudford outro padrão de vida. Vivendo em Beverly Hills, Los Angeles, e fã do basquete americano, o baterista se adaptou rapidamente ao estilo de vida local e serviu até de guia turístico ao companheiro Gregor Stevens quando ele e Cliff Morgan se mudaram para lá posteriormente. Com o hiper-aclamado The Man of Yellow Cover Pat pode testar a sua versatilidade tanto em estúdio, onde haviam desde baladas até heavy-metal, quanto nos shows onde a grandiosa Yellow Cover Tour lhe deu maior espaço sendo inclusive anunciado para números solos. Essas performances puderam ser conferidas quando foi lançado o álbum ao vivo The Gardeners Still Live. Mas quase ao mesmo tempo em que começavam a surgir maiores discórdias entre Cliff e Gregor, Pat começou a abusar dos anabolizantes para ganhar massa muscular.

Sem fazer porra nenhuma

No decorrer dos quase dois anos que a banda ficou inativa enquanto seus parceiros se mexiam em projetos paralelos, Pat não produziu nada de significativo mas foi um dos poucos a apoiar a contestada volta de Nick Willys aos Gardeners. O casamento de Rudford com a médica Aldrine Benith e a bipolarização do grupo entre Cliff e Gregor durante as gravações de The Time's Over acabaram isolando o baterista. As letras romântico/depressivas e as melodias arrastadas do disco acobertaram a sua fraca participação e o fato de que estava totalmente fora de forma devido ao uso dos anabolizantes. Isto ficou comprovado na exibição do show acústico gravado para a MTV que mais tarde se transformaria no álbum The Gardeners Unplugged.

Convidado de fim de semana

Ainda durante as sessões de The Time's Over, Pat Rudford esboçou uma saída dos Gardeners mas foi convencido por Willys e Stevens a permanecer. Porém desde essa época ele começou a planejar seu futuro fora da banda. Finalmente com a dissolução do conjunto em novembro de 2009, Pat se juntou a Nick Willys e o ex-produtor executivo dos Gardeners Jeff Hughes para fundar a Brush Artistic Consulting, empresa de consultoria que acompanharia a carreira de novos artistas em diversas áreas. Cinco anos depois Willys deixou a sociedade. Embora tenha participado de uma faixa do segundo disco da Alcoholic Blues Band de seu ex-parceiro Gregor Stevens e estivesse presente em The Gardeners Anthology, Pat Rudford foi gradualmente se afastando da música até praticamente não ter mais nenhum vínculo com essa área atualmente.

 

Este site é melhor visualizado em vídeo de 800x600. Desenvolvido por Japona Produções & Eventos
Copyright: Yellow Cover Music © 2009. All rights reserved.